Cálculo de Risco Fetal ou Morfológico de Primeiro Trimestre

Todos os nomes são usados para o mesmo exame. Este exame é capaz de fornecer cálculos do risco estimado para cromossomopatias (como a Síndrome de Down), além de cálculos de risco para:

  • Pré-eclâmpsia (pressão arterial elevada da gestante)
  • Restrição de crescimento intra-uterino
  • Parto prematuro

Estes cálculos são realizados a partir de informações dadas pela mãe e de parâmetros fetais obtidos pela ecografia.

Os parâmetros ecográficos utilizados para o cálculo de risco são:

  • Translucência nucal (TN)
  • Osso nasal (ON)
  • Ducto venoso (DV)
  • Doppler das artérias uterinas (UT)

Como este exame é um teste de rastreamento a sua alteração não indica necessariamente que o feto é anormal, indica sim a necessidade de outros exames para esclarecer esta suspeita. Para calcular este risco se utiliza um software elaborado pela Fetal Medicine Foundation (FMF).

Vale ressaltar que para o cálculo de risco seja fidedigno é essencial a certificação do profissional pela FMF, que fornece a licença para utilização deste software e submete os médicos autorizados a auditorias anuais.